Home Dicas para aprender macramê Montanha, Oceano e Pôr-do-sol: Conheça o macramê mais famoso do mundo.

Montanha, Oceano e Pôr-do-sol: Conheça o macramê mais famoso do mundo.

1373
4
Obra de macramê Por-do-sol

Antes de mais nada, neste post você vai conhecer Agnes Hansella, a artista por trás do macramê mais famoso do mundo. Em suma, Montanha, Oceano e Pôr-do-sol foram os painéis gigantes da artista que movimentaram a internet

O macramê está em alta. Essa técnica de atar nós em linhas usando as mãos, visto que não tem a necessidade de agulha ou outra ferramenta para tecer, tem conquistado a atenção de arquitetos, artistas e também de pessoas que querem aprender a fazer suas próprias peças para decorar suas casas. 

Da mesma forma, nas redes sociais, encontramos peças de macramê uma mais linda do que a outra.

Algumas são minimalistas, outras são grandiosas, mas nesse mar de peças lindas que a gente vê, existem 3 instalações que se destacam e que despertam a reação: “como conseguiram fazer um trabalho desses?!”. 

Conheça um pouco sobre Agnes Hansella

Macramê mais famoso do mundo: 
Artista de macramê Agnes Hansella
Agnes Hansella

Em primeiro lugar, Agnes Hansella nasceu em Banjarmasin, na Indonésia. O seu relacionamento com o macramê começou no Canadá, no momento em que estudava áudio para filmes, quando viu peças de macramê que lembravam da sua cidade natal e de suas origens.

De tal forma que ao retornar à Indonésia decidiu dedicar todo seu tempo ao macramê.

Hoje seus trabalhos são conhecidos no mundo inteiro em virtude de toda beleza e originalidade.

Curiosidades sobre o macramê mais famoso do mundo

Macramê mais famoso do mundo: 
Obra de macramê Pôr-do-sol
Pôr-do-sol

Sob o mesmo ponto de vista da paisagem da vila de pescadores onde foi instalada em Bali, as 3 peças de macramê mais famosas do mundo foram intituladas de montanha, oceano e pôr-do-sol.

As instalações foram feitas com o fim de decorar a casa noturna Locca Sea House.

Cada painel tem mais de 11 metros de comprimento e por isso precisou de andaimes para construir. O material escolhido para os painéis foi a corda de sisal de 16 mm. O nó festonê foi usado para fazer desenhos inspirados na natureza, como ondas, montanhas e pássaros.

Além disso, podemos ver diferentes padrões de nó quadrado e nó DNA em cada peça.

Com toda a certeza, Agnes contou com a colaboração de uma equipe de 8 artistas para transformar esse projeto em realidade. Dessa maneira, a equipe levou cerca de 12 dias para finalizar os 3 painéis.

O resultado foi notável: 3 instalações que se misturam com a arquitetura do lugar e que atraem olhares do mundo todo.

Bate papo com Agnes Hansella

Em entrevista exclusiva aqui pro Blog do Marcamê, Agnes Hansella nos contou um pouco da sua história com o macramê, falou sobre os mega-painéis de Bali e além disso deixou um recado para quem está começando.

Você é uma artista autodidata. Como foi o seu processo para aprender a arte do macramê?

Uma vez eu vi minha mãe fazendo uma peça de macramê e descobri que a técnica era divertida e descomplicada, porque você não precisa de nenhuma ferramenta ou agulha para tecer os nós, tudo que você precisa é linha e tesoura. Eu aprendi pela internet. Fui descobrindo o que me interessava e vendo como outros artistas exploram essa arte. Por outro lado, eu nunca fui boa com costura, e nem com outras artes manuais. Na verdade eu tive bastante dificuldade no início, mas o que fez diferença foi que eu nunca parei de tentar melhorar. É frustrante em outras formas de arte quando uma peça não vai bem como planejado, mas no macramê você pode desfazer os nós e começar de novo. Nada é desperdiçado !

Sabendo o que você sabe hoje, o que você diria para você mesma quando estava começando a aprender macramê?

É provável que eu diria pra mim mesma mais jovem: “Não estique as linhas quando for cortar!” Na hora de cortar as linhas no final da peça eu ia super animada, deixava a ansiedade tomar conta e logo após acabava cortando demais e me arrependendo. Eu faço o mesmo com a minha franja (risos).

As suas instalações em Bali são algumas das peças de macramê mais compartilhadas na internet. “O macramê mais famoso do mundo” chegou em muita gente e inspiraram pessoas a aprenderem macramê. Como isso te faz sentir?

Em outras palavras eu realmente não esperava isso! Fiquei muito feliz por todo mundo que participou. Esse trabalho foi feito assim que a pandemia iniciou. Meu filho estava doente, e quase não conseguimos concluir a tempo. Que bom que eu levei minha câmera no último dia para registrar o processo.

Por que você escolheu sisal como material para fazer os painéis de Bali? Em suma, como você faz pra escolher a linha para cada trabalho?

De fato, o cliente pediu que eu usasse um material marrom e durável, para aguentar sol e chuva. Eu experimentei com um pedaço de linha e decidi pelo sisal de 16mm. Da mesma forma, sobre a escolha de material para cada trabalho, ainda estou aprendendo e estou sempre experimentando.

Detalhes da obra de macramê
Montanha
Macramê mais famoso do mundo
Detalhes de Montanha

Qual foi o maior desafio de trabalhar em peças tão grandes ao ponto de ser reconhecido como macramê mais famoso?

Eu tenho um pouco de medo de altura, e nesse trabalho precisei subir em um andaime bem alto para fazer os nós. Eu fiquei com medo da altura nos 3 primeiros dias, mas esse medo foi sendo substituído pelo medo de não conseguir terminar o trabalho a tempo. (risos)

O outro desafio foi trabalhar de pertinho sem conseguir ver o todo. Alguns padrões tivemos que refazer, porque não estavam retos o suficiente.

Produção da obra de macramê Montanha, o Macramê mais famoso do mundo: Conheça tudo sobre essa peça
Produção de Montanha

Qual é a diferença entre trabalhar com cordões muito grossos, como é o caso do sisal de 16mm?

A diferença de trabalhar com cordão grosso assim é que são necessárias 2 ou 3 pessoas usando luvas para fazer um único nó. É muito satisfatório tocar no nó depois que fica pronto.

Você mencionou em uma entrevista que o design final foi pensado no local. Como você acha que alguém pode desenvolver um instinto assim, de se inspirar e criar ali na hora?

Eu acho que essa liberdade vem com a experiência de conhecer bem os padrões e saber quais combinações funcionam melhor. Quando eu fiz o primeiro desenho dessas peças, eu ainda não tinha visitado o local onde o trabalho seria feito.  Quando eu cheguei lá, veio uma sensação, um tema que surgiu dos arredores que eu não pude ignorar. Desenvolver esse instinto é um processo diferente para cada pessoa. Pra mim veio de tanto fazer padrões diferentes e refazer muitas peças.

Macramê mais famoso do mundo: 
Obra de macramê Oceano
Oceano

Que conselho você daria para alguém que quer aprender macramê?

Meu conselho é: quando for fazer uma peça, vai com calma, não precisa ter pressa. A diferença entre fazer peças pequenas e grandes é o tempo gasto, os nós são os mesmos.

4 COMMENTS

  1. Magnífico, parabéns Osana por se aventurar e nos dar o prazer de contemplar coisas tão lindas. Gratidão

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here